Garantia de imóvel no empréstimo? Veja agora como funciona!

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Nos últimos tempos, um tipo de empréstimo está sendo bastante procurado no Brasil. Trata-se do empréstimo com garantia de imóvel, uma linha de crédito que também é conhecida como refinanciamento de imóvel.

Em outros países, essa modalidade de crédito é bem comum através da hipoteca.

Apesar da crescente procura, há certa desconfiança por parte da maioria das pessoas mesmo sendo um empréstimo com taxas de juros mais baixas. Contudo, essa é uma linha de crédito das mais vantajosas.

Isso porque, quando você deixa o seu imóvel como garantia em uma instituição financeira, automaticamente é possível que se consiga um valor que seja maior do que aqueles que são ofertados em outras linhas de crédito.

A seguir, vamos dar algumas informações úteis de como funciona essa linha de crédito.

Além de dicas valiosas de como gastar esse dinheiro, ou até mesmo se ele se faz necessário nesse momento.

Mas, afinal, como funciona essa linha de crédito com garantia de imóvel?

O empréstimo com garantia de imóvel funciona como um empréstimo pessoal, no qual o contratante precisará ter um imóvel – casa, apartamento, sala comercial – em seu nome.

Lembrando que esse imóvel precisará estar quitado e livre de qualquer ônus.

O processo em si funciona assim: ao entrar em contato com a instituição financeira, o contratante dirá que seja obter uma linha de crédito, onde essa solicitação pode ser feita online, preenchendo uma espécie de cadastro.

Depois que o cadastro é realizado a sua solicitação será encaminhada para a instituição financeira do seu interesse.

Esta, por sua vez, fará uma análise prévia do crédito solicitado, para depois fazer uma análise jurídica do seu pedido, e, por fim, uma avaliação do imóvel.

É muito comum o crédito ofertado gira em torno de 50 a 60% do valor do imóvel.

E, após ser definido o valor do empréstimo, o solicitante terá que ter acesso ao contrato, e ler todas as cláusulas e taxas referentes ao empréstimo com garantia de imóvel.

Quais as vantagens e desvantagens desse crédito?

garantia-imovel-vantagens

A grande vantagem dessa modalidade de empréstimo são os juros, bem menores do que em outras linhas de crédito usuais.

Exemplificando, aquele consumidor que estiver comprometido com o cheque especial, pode trocar a sua dívida por outra que seja mais em conta.

Entre os maiores bancos que operam no Brasil (Santander, Itaú Unibanco, Caixa Econômica Federal, Bradesco e Banco do Brasil), as taxas de juros giram em torno de 1,22% a 1,75%, segundo levantamento recente feito pelo Portal G1.

Como conseguir um empréstimo hoje sem burocracia.

Por conta da alta garantia dada pelo solicitante, outra vantagem dessa linha de crédito é que crédito ofertado, proporcionalmente, também é enorme, afinal, estamos falando do valor de um imóvel.

Por último, outra grande vantagem de um empréstimo com garantia de imóvel é o prazo para pagamento que o solicitante terá.

Para quitar a dívida com a instituição financeira, em geral, é dado um prazo de até 240 meses (20 anos).

Já em relação às desvantagens, na realidade, há apenas uma, mas, que é levada bastante em conta pelos consumidores daqui: em caso de não pagamento da dívida, o imóvel dado como garantia será leiloado.

Tirando essa possibilidade, que precisa ser bem estudada pelo solicitante, é bom dizer, as desvantagens giram em torno dos custos em cartório e relacionados à Tarifa de Avaliação de Bens Recebidos em Garantia, apenas.

Algumas indicações para essa linha de crédito

Mesmo tendo uma linha de crédito tão vantajosa à disposição, é preciso cuidado para não ser precipitado e fazer algo que não esteja realmente necessitando no momento.

A quantia ofertada pelo empréstimo com garantia de imóvel é alta, e o prazo é igualmente alto.

Portanto é melhor ter certeza de que você realmente precisa desse empréstimo.

Importante frisar também que, ao optar por esse empréstimo, você tenha certeza de que terá como arcar com uma dívida mensal muito prolongada.

Avalie sempre as suas reais necessidades, a fim de se investir esse empréstimo em algo certo e sem riscos.

Tendo bem claro esse compromisso de pagar algo que poderá levar muito tempo para se sanado.

Tendo também em mente esses fatores, é aproveitar as vantagens que essa linha de crédito oferece, como juros mais baixos, taxas menores e crédito maior do que outras ofertadas por aí.

Tomada do imóvel

garantia de imóvel tomada

Suponhamos que o consumidor não consiga quitar a dívida, o que irá acontecer primeiro?

Para começar o banco não necessita acionar a Justiça para colocar o imóvel em leilão, bastando, para isso, uma simples notificação em cartório.

Segundo especialistas, esse processo envolvendo o leilão do imóvel não demora mais do que 1 ano.

Bom frisar que, caso o valor já pago pelo ciente seja maior que a dívida reestante, o valor excedente tem que, obrigatoriamente, ser devolvido ao proprietário.

Por sinal, essa regra que permite que um imóvel possa ir a leilão sem aval da Justiça começou a vigorar desde 1997.

No entanto, a ida do imóvel para leilão só é efetuada após alguns processos.

Primeiro, o banco tentará entrar em contato com o cliente para realizar alguma forma de negociação a fim de sanar a dívida.

Após essas tentativas de negociação, notificações são enviadas, e só em último dos últimos casos, é que a Justiça precisaria ser acionada.

Como refletir antes de fazer um empréstimo desses?

1. Tenha um objetivo claro e definido

Você pode usar o dinheiro de um empréstimo para o que quiser é verdade. O que não pode jamais é não tem um objetivo claro para o que vai fazer com esse dinheiro.

Não importa se é para a reforma da casa, para uma viagem ou mesmo para a abertura de uma pequena empresa. O importante é saber no quê você vai investir.

Adquirir uma dívida é de muita responsabilidade, mesmo que seja uma dívida com muitas vantagens, como o empréstimo com garantia de imóvel.

2. Não use o empréstimo para fazer mais dívidas

É muito comum ficarmos vislumbrados com uma quantidade de dinheiro de uma vez só que não estamos acostumados no nosso cotidiano.

Por isso, podemos perder o controle e gastarmos mais do que deveríamos, contraindo assim novas dívidas.

Evite isso a todo custo, pois, você já está arcando com uma dívida, cuja principal garantia é o seu próprio imóvel.

Caso precise, pague as dívidas já existentes, fazer mais dívidas em cima desse empréstimo com garantia de imóvel, simplesmente, é imprudência.

Está precisando de dinheiro? Que tal aprender grátis como ganhar dinheiro na internet?

3. Reforma de casa só se for por questões de estrutura

Infiltração, telhado quebrado, entre outras coisas, são reformas da casa que não podem esperar, é verdade.

Neste caso, um empréstimo tendo como base o refinanciamento do seu imóvel é uma boa pedida.

Porém, se a reforma tiver motivos meramente estéticos ou caso se trata do aumento de um determinado espaço da casa que não seja realmente necessário, o ideal é não usar o empréstimo para isso, já que uma reforma estética sempre precisa de “algo a mais”.

4. Comprar outro imóvel com o empréstimo é imprudência

Junto com essa nova modalidade de empréstimo que está tomando força no Brasil, muitas pessoas optam por refinanciarem o seu primeiro imóvel para terem limite de financiamento disponível para comprar um segundo imóvel.

Mas, essa não é uma boa alternativa. Um imóvel exige custos adicionais, como manutenção, por exemplo.

Fazendo isso, a pessoa terá altos gastos em dobro.

Por sinal, esse raciocínio também vale para aqueles que pensam em refinanciar o seu imóvel para comprarem um automóvel, principalmente se este for um carro usado.

Em suma, não use o seu empréstimo com garantia de imóvel para obter ainda mais custos.

5. Tente não usar esse empréstimo em dificuldades financeiras

Dificuldades financeiras são situações complicadas, convenhamos, porém, refinanciar o seu imóvel em decorrência disso pode não ser um bom negócio.

A sua dívida, com isso, pode aumentar a médio e a longo prazo, afinal, você estará fazendo apenas um paliativo naquele momento para sanar uma dívida passada.

Antes de fazer um empréstimo com garantia de imóvel com esse objetivo, tente fazer um planejamento pessoal, e ver se realmente ele é necessário naquele instante.

Veja também 7 ótimas dicas antes de fazer um empréstimo pessoal

Alguns mitos sobre esse tipo de empréstimos

garantia de imóvel mito

“O banco, na verdade, quer tomar o meu imóvel”!

Esse talvez seja um dos maiores mitos quando se fala desse tipo de empréstimo.

Este é uma garantia, e não uma certeza de que você está passando esse bem para a instituição financeira. Até mesmo porque o que um banco visa lucro, e não custo que ele teria com a aquisição de um imóvel.

Outro mito muito comum é que o imóvel usado como garantia não pode ser vendido.

Não é verdade. O processo é mais demorado do que o normal, mas, nada de complicado.

Saiba onde contratar pela internet

Você apenas esclarece para o comprador que parte do dinheiro será usada para quitar o débito com o banco.

Em cerca de 30 dias – o comprador repassa o valor restante para o atual dono do imóvel, e repasse o bem para o seu nome.

E, por fim, outro mito muito comum a respeito dessa linha de crédito, é que o imóvel precisa ser meu.

O dono dele pode tanto ser você, quanto um parente ou amigo, contanto que este esteja de pleno acordo em relação à operação.

Também chamado de interveniente garantidor, o real dono do imóvel precisa ainda assinar o contrato da operação de crédito para que tudo seja feito de maneira totalmente legalizada.

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.